SAÚDE & BELEZA

Umectação com Óleo de Côco

Desde que voltei a fazer luzes no meu cabelo, que é naturalmente castanho e cacheado, muito me preocupo com a saúde e nutrição dos meus fios. Além de não querer abrir mão dos cuidados constantes que a tintura exige, estou sempre em busca por soluções econômicas. Até porque a gente já tem aquele conceito formado de que cabelo bonito, bem nutrido e vistoso é na maioria das vezes, sinônimo de gasto.

Neste texto, falo sobre duas coisas: o início da minha aceitação dos meus cachos e os fios mais claros.

Voltar a ser loira (pela segunda vez), foi uma decisão tomada completamente pelo desejo de mudar o visual: estava cansada do meu cabelo que mesmo em tom natural e alisado, ainda não estava da maneira que eu queria. O medo bateu, quando lembrei do resultado completamente negativo da primeira vez: meus cabelos ficaram parecendo vassoura de bruxa, sabe? E olha que essa da foto ao lado, está bem bonitinha, risos. Sem vida, secos e completamente acabados pela química. Uma tristeza!

Mas eu tinha de tentar mais uma vez. Enquanto estava em Montreal, fiz uma cotação com alguns cabeleireiros brasileiros e infelizmente não tive tempo suficiente para testar, tive de voltar (e se quiser saber o por quê, clique aqui), o que foi uma pena! A Vanessa Medeiros, do VM Hair Architet, arrasa! Fica à dica para quem for à Montreal :).

Para falar bem a verdade, eu queria duas coisas: fazer novamente uma progressiva (a minha estava com prazo de validade vencido à quase um ano na época), e tonalizar meus fios. Fui em busca da primeira opção em um salão que já é meu velho conhecido, e quando fizemos a técnica Marroquina (que sempre deu conta dos meus fios), o resultado foi perceptível logo depois de um mês. Digo isso, porque meus cabelos não alisaram de jeito nenhum. Ao contrário, ficaram um misto de alisado com cacheado, um terror! Segundo a profissional responsável, que é uma querida, isso aconteceu, porque fiquei muito tempo sem fazer progressiva (que deve ser feita de 3 em 3 meses, mas pode também ser realizada de 4 em 4, ou até de 6 em 6, dependendo da técnica a ser utilizada, e claro, do tipo dos fios). E ela estava certa, com quase 1 ano sem progressiva, também não dava para fazer milagre!

Para você ter uma ideia, quando eu fazia limpeza na casa de alguns conhecidos, na hora de lavar o banheiro eu usava touca de cabelo, para o vapor não estragar minha escova, risos.

Tentei decifrar o que meus cabelos estavam tentando me dizer: chega de alisamento. Era hora de voltar a ter meus cabelos cacheados! E eu sempre achei a coisa mais linda, cabelo cacheado, com mechas ou luzes loiras. Fiz as luzes, e larguei mão de vez de químicos alisantes, afinal já tinha dado um banho de química com a progressiva mal sucedida. E confesso que essa foi a melhor decisão da minha vida (e que vale um outro texto!).

Mas falando sobre o tema desta postagem: a umectação veio pela necessidade de hidratar ao máximo meus fios tão prejudicados pela cor e agressividade dos tratamentos químicos. Confesso que o óleo de côco era conhecido de outros carnavais. Costumava usá-lo ainda no Canadá para fins alimentícios, mas sabia que os benefícios desde óleo natural não paravam por aí. E só no Brasil, assistindo a alguns vídeos no YouTube, resolvi testar e foi amor à primeiro uso. Meus cabelos nunca mais foram os mesmos desde que eu comecei os procedimentos de umectação capilar, procedimento feito à base de óleos vegetais, que nutre, a recupera cabelos danificados e pontas duplas, principalmente nos fios cacheados que sofrem com o ressecamento natural por conta do formato dos cachos. O processo pode ser feito em todos os tipos de madeixas – até as oleosas.

Rico em vitamina E, K e ácidos graxos, o Óleo de Côco, e garante uma nutrição profunda nos fios.

1° passo: coloque uma colher de óleo de coco em um potinho e esquente 2 minutos no micro-ondas ou forno.


2° passo
: com o cabelo seco e semi sujo, aplique um pouco de óleo mecha por mecha e até mesmo na raiz. Nesse processo, é muito importante massagear o couro cabeludo, pois ajudará a circulação sanguínea e estimulará o crescimento dos fios saudáveis. Eu costumo misturar uma máscara capilar  ou qualquer condicionador ao óleo de côco e também Bephantol Derma líquido (1 tampinha), mas você pode fazer a sua umectação sem também.

3° passo: deixe o produto agir por 2 horas no cabelo. Esse é o tempo ideal para o couro cabeludo absorver todos os nutrientes que o óleo de coco oferece. Como eu costumo separar um Beauty Day (que geralmente é no sábado), procuro deixar a mistura o máximo que puder, até já cheguei a dormir com ele nos cabelos e retirar no dia seguinte.

4° passo: enxágue os cabelos com água fria e lave duas vezes com um shampoo específico para seus fios. Aqui, eu costumo usar aqueles adstringentes, os transparentes e sem sal. Em seguida, aplique um pouco de condicionador somente nas pontas do cabelo.

5° passo: depois do banho, tire o excesso de água dos fios e, em seguida, aplique um leave-in para facilitar o desembaraço e proteger os fios contra os agentes externos.

Meus cabelos ficaram uma seda! Faço o procedimento uma vez na semana, mas dependendo do seu tipo de cabelo, você pode fazer a umectação de quinze em quinze dias. Este é o caso por exemplo, da minha mãe, que tem cabelo liso e muito fino.

Thaissa Freire

Thaissa Freire

Carioca da gema, cristã que sabe que existe SIM, muito amor - e chuva - em São Paulo.
Apaixonou-se perdidamente por Montreal, fez intercâmbio de inglês na cidade francófona, e sonha, em viver em terras canadenses, PARA SEMPRE.

No Blog das Meninas, fala sobre suas experiências de viagens, suas séries favoritas, receitinhas, músicas, e o que mais vier à cabeça.
Thaissa Freire

Últimos posts por Thaissa Freire (exibir todos)

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply