Browsing Tag

Emagrecer com saúde

DIÁRIO DA DIETA FITNESS

Diário da dieta (de verdade!)

Eu decidi me expor sim, porque usando esse cantinho que tanto amo, é uma forma de eu conseguir a motivação que eu preciso para seguir em frente, e ser melhor do que o dia de ontem. 

Neste primeiro diário da dieta, quero dizer como está sendo fundamental para mim, o acompanhamento com um especialista. Mesmo que às vezes a minha nutri diga coisas que eu já saiba, ou eu mesma fale aquilo que já estou casada de ouvir, vale a pena. Vale a pena escutar. Vale a pena se escutar. 

No dia 19/12/2017, eu e a Dra. Thaís Barros, tivemos mais uma das nossas sessões (que já estão no finzinho), e eu desabei o desabafo. Não sei se você já passou por isso durante esse período de readequação alimentar, mas entendi que o mais importante (mais do que o que você come, a quantidade, frequência ou exercícios que você faz), é o que está dentro de você. O que a sua mente absorve, quais os sinais que ela capta. Isto porque, eu desci ladeira abaixo abraçada à um monte de hambúrguer, pizza, chocolate e não havia o que me parasse. Tudo porque eu me apeguei a um “mas você não precisa mais emagrecer”, usei como válvula de escape, e sai atropelando todo esse caminho de conquistas que foi de dezembro/2016,  até aqui. 

A chave do meu cérebro emperrou, e eu liberei geral. Passava longe da balança e deixei a Thaís no vácuo. Comi. Ah, comi e muito! Gente, eu amo comer. Mas amo mais o meu corpo, e o meu objetivo de ser feliz, me olhando no espelho e sentindo aquele baita tesão por mim mesma, sabe? Já sinto? É, digamos que eu esteja no caminho… Mas não posso parar. Não posso me permitir parar. E admitir que eu estava falhando, usando desculpas para me sabotar, doeu. 

E aí a Thaís me disse que eu não precisava me culpar, que cada novo dia era uma oportunidade para que eu pudesse fazer dar certo, o que o ontem não me permitiu. E estamos aí. Zerei a balança. e vamos novamente! Só que agora, focada realmente no objetivo e já entendendo, que nada pode me abalar, muito menos o que dizem para mim. O meu amor próprio precisa ser maior do que qualquer comentário, seja ele construtivo ou destrutivo (esses, já aprendi que posso dispensar até sem saber). 

E que eu precisa comer, para me alimentar, não para suprir uma necessidade que eu poderia fazer, se eu buscasse uma outra maneira. Explico: a comida me dá prazer. O mastigar, o sentir do gosto, me dá uma sensação de conforto, faz um raio de um carinho no meu coração, que meu Deus do céu. Só que a comida deve servir para a subsistência do meu corpo, para nutri-lo e manter-lo em funcionamento pleno. Sem excessos. Desta forma, se eu quero sentir esse carinho no meu coração, preciso buscar uma atividade que o preencha. Comida enche, de estria, celulite, gordura. Como diz minha avó, são apenas 5 minutos de prazer, que se estendem para uma vida toda. E que tipo de vida eu quero para mim? UMA VIDA PLENA, né mores?!

Aqui, a gente só aceita alegria. Se não for, devolvo! 🙂 

E se te inspirar, tenho algumas receitinhas fitness: