VIAGENS

Oh Canada: o sonho

oh-canada

O meu sonho canadense começou antes mesmo de eu aprender o significado do que era sonhar.

Aos oito anos, eu e minha família movidos pelo desejo ávido de minha mãe em morar fora do Brasil, estávamos de malas prontas rumo à província de Alberta. Dezoito anos se passaram e eu ainda não sei ao certo se íamos para Edmonton ou Calgary (mas certamente, o destino era Alberta), com nossos corações cheios de expectativas, e claro muitos sonhos.

No período em que estávamos nos preparando para a retirada do passaporte, e dos exames médicos (que são exigidos a todos os que vão passar um período maior de 06 meses no Canadá), infelizmente minha mãe veio a falecer devido à um acidente de carro. Engavetamos a viagem, e tentamos aos poucos refazer nossas vidas. Eu aos oito, meu irmão aos três, meu pai, e minha avó, que apesar de terem sofrido uma das perdas mais trágicas de suas vidas, foram a fortaleza, o porto seguro, e toda a minha tradução e significado de amor.

Após 18 anos, um casamento (que não foi o meu, risos) em Montreal, fez com que a chama reacendesse em meu coração, e o sentimento de perda profunda, se transformasse na certeza de que os nossos destinos o meu e o do Canadá, estavam entrelaçados e como diz o jargão, escrito nas estrelas…

Em janeiro de 2016, abri mão do meu emprego em uma agência de marketing digital, negociei meus estudos de inglês com a ALI (Academie Linguistique Internacionale), com a ajuda da Hi Bonjour, agência de intercâmbio e viagens. E no dia 23 que decolei rumo a viagem mais significativa da minha vida, sem exageros!

Sim, era inverno. E só consegui sair do aeroporto porque minha prima tinha pego emprestado uma calça de esqui com uma amiga (obrigada Flá e Eli!). Caminhei os 08 minutos entre a estação de metrô e a casa dela, com um casaco que levei do Brasil, na ingenuidade de que ele ia servir para alguma coisa (#SabeDeNadaInocente). Foram os oito minutos mais intensos, demorados e congelantes de toda minha vida.

Por isso, se você pensa em visitar o Canadá durante o inverno, saiba que não adianta levar casaco do Brasil. O material usado na confecção das peças de frio, é completamente diferente por isso, compre quando chegar. Existem alguns grupos no Facebook de brasileiros que vivem no Canadá, que muitas vezes fazem a venda de artigos de neve (como casacos, botas, gorros, luvas, entre outros) em bom estado, e com preços acessíveis e muito melhores do que os das lojas.

Comprei meu casaco no mesmo dia e paguei um valor razoavelmente em conta (180 dólares canadenses, sem taxas inclusas em um modelo da Zara, que me manteve quentinha durante todo o inverno). As minhas botas, que aguentam a temperatura negativa de até -30ºC, também não foram caras (100 dólares canadenses). Mas se você não pesquisar, pode chegar a pagar 800 dólares só no casaco de neve, fique atento (a), e apesar do frio e de toda a novidade, não se desespere.

Se você me perguntar se valeu a pena começar meus estudos durante o inverno, eu te respondo: sem dúvidas. O fato da cidade estar completamente sob neve, fez com que eu me dedicasse completamente aos estudos. Obviamente que devido à incrível estrutura das cidades subterrâneas, existe vida – e muita – durante os longos meses de inverno. Mas se você me perguntar também se eu indico que você faça o mesmo, minha resposta vai ser – sempre – depende do seu objetivo.

Depois do meu curso de inglês, minha meta era iniciar um college e assim, dar entrada em meu processo de imigração (por meio do estudo), então esse planejamento foi crucial para mim, ao menos antes de algumas pedras que tive de remover do meu caminho, (e que vão ser tema de um outro texto).

Se o seu objetivo for um período mais curto, apenas com foco em aperfeiçoamento do inglês, sugiro que você vá para o Canadá entre maio e setembro, evitando a estação congelante, e aproveitando ao máximo o que o verão, primavera e o bucólico outono tem a oferecer.

Escolhi Montreal como destino, apensar de ir estudar inglês, porque tenho família morando na província do Quebec, e também porque como minha meta era a imigração, quero ter a oportunidade de viver em um lugar que me possibilita além do inglês, aprender uma nova língua, o francês. Durante todo o período em que estive em Montreal (pois estou de volta ao Brasil), sobrevivi falando inglês perfeitamente. Os quebecois, nativos do Quebec, e muitos imigrantes falam o inglês por saberem que muitas pessoas não dominam o francês. Mas há também os que só falam francês, o que pode dificultar um pouco as coisas.

Por isso, planeje-se! Pesquise MUITO no Google. Como disse no começo do texto, existem grupos principalmente nas redes sociais, e vários sites que dão dicas, mas se você não estiver focado suas buscas podem te atrapalhar. Conheça o país que você pretende visitar, o lugar onde vai morar e tenha em mente o que você vai fazer durante o período que estiver por lá. Só assim você vai conseguir aproveitar o seu tempo ao máximo.

Ah, e o sonho? Ele apenas acabou de começar, e eu vou tentar compartilhar um pouquinho dele aqui! =]

Thaissa Freire

Thaissa Freire

Carioca da gema, cristã que sabe que existe SIM, muito amor - e chuva - em São Paulo.
Apaixonou-se perdidamente por Montreal, fez intercâmbio de inglês na cidade francófona, e sonha, em viver em terras canadenses, PARA SEMPRE.

No Blog das Meninas, fala sobre suas experiências de viagens, suas séries favoritas, receitinhas, músicas, e o que mais vier à cabeça.
Thaissa Freire

Últimos posts por Thaissa Freire (exibir todos)

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply