VIAGENS

Oh Canada: as fases de um sonho

Esses dias eu fiz um texto de desabafo no Facebook (que você pode ler aqui), falando um pouquinho sobre os dessabores e delícias de se viver no Canadá.

Se você ainda não sabe como tudo começou, te convido a gastar uns minutinhos a viajar comigo no meu sonho mais queridinho, que está sendo gerado com muito amor, paciência e altas doses de realidade em minha mente e coração.

Sim, eu vou ficar mais tempo em terras tupiniquins, mas não vejo problema algum em dizer que um dia, se Deus quiser, volto para as terras geladinhas da rainha. E ainda, vejo todo esse período, como uma boa oportunidade de amadurecimento e entendimento de quem eu realmente sou, e de quem eu quero ser daqui pra frente.

Se eu voltar hoje para o Canadá, acredito que vou poder fazer escolhas melhores, se comparado a quando eu estava completamente vislumbrada pela novidade que é, estar vivendo em outra realidade de vida. Isto acontece, e não há problema nenhum nisto. Ao contrário, acredito que não haja experiência mais libertadora e que nos obrigue a lidar com nossos próprios medos, desafios e incertezas, do que a de viajar sozinho, para valer, da forma que um intercâmbio, ou uma período mais longo fora de casa podem fazer.

A gente pode contar com família se tiver por perto (como é o meu caso, e eu sei que sou uma pessoa de sorte por isto!), amigos e tentar montar a melhor estrutura emocional que puder, mas no final das contas, a gente conta com a gente mesmo e com a fé que se tem no coração. Porque acredito que, até quando a gente não tem fé em um ser superior, a gente aprende a ter. A gente busca a querer acreditar que exista alguém lá em cima olhando por nós, dando aquela cobertura e ajudinha, sabe?

E a gente precisa de muita força, e calma nessa hora. Aos olhos de quem não vê ou sente a nossa dor, viver um tempo longe de casa, do país, pode ser visto como um capricho. Você vai encontrar gente que vai te dar muita força, que vai desejar que a sua trajetória seja a mais bem sucedida possível, e você vai se sentir grato por isto.

Mas não se engane. Vão existir pessoas que vão fingir torcer por você, que vão enrustir um sofrimento, tomar as suas dores, mas para poder ficar ali por perto, para saber o que é que você está fazendo e como está fazendo. Talvez nem por maldade, mas pelo hábito e pelo prazer de querer gerenciar a vida alheia.

Por mais que você não consiga escolher claramente o que vai lhe acontecer, porque afinal de contas, o futuro a Deus pertence, você sabe quem deve manter por perto, e de quem deve se distanciar. Permita que sua vida seja irradiada sempre por luz, por pensamentos de grandeza e força. Transforme a derrota e o fracasso em ousadia e alegria.

Permita que a sua vida seja cerceada do grupo das que sinceramente vão te estender a mão, sem terem a intenção de tirá-la ou cobrar em algum momento que você pague algum valor feito. Seja melhor do que essas pessoas que dizem querer sua realização, mas que prezam mesmo, é pela falha. E sabe porquê? Porque muitas vezes, pessoas assim muitas vezes passaram por situações complicadas em que almejaram o sucesso, não obtiveram, e ao invés de usar a pedra para construir uma casa, preferem chutá-la ao meio do caminho esperando por alguém passar e cair. Não permita que esse caminhante seja você.

Não permita que ninguém te diga como você deve sonhar o seu sonho.

Não permita que ninguém tente freiar seus planos.

Não permita que ninguém tire o que é seu.

Thaissa Freire

Thaissa Freire

Carioca da gema, cristã que sabe que existe SIM, muito amor - e chuva - em São Paulo.
Apaixonou-se perdidamente por Montreal, fez intercâmbio de inglês na cidade francófona, e sonha, em viver em terras canadenses, PARA SEMPRE.

No Blog das Meninas, fala sobre suas experiências de viagens, suas séries favoritas, receitinhas, músicas, e o que mais vier à cabeça.
Thaissa Freire

Últimos posts por Thaissa Freire (exibir todos)

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply