TEXTOS & FRASES

Eu não gosto de despedidas

Eu não sei você, mas tenho um problema sério com desapego. Aprendi à duras penas que ou a gente desapega pelo amor, ou pela dor. Até hoje, não consigo balancear de que forma eu me desfiz de partes da minha vida, mas sei que elas se foram. E sei também que mesmo que elas se vão, elas ainda ficam. É natural um pedacinho do que já foi inteiro, ficar ali escondidinho, mesmo achando que não faz mal, que a presença daquela coisinha pequena não lhe diz nada, ela diz e muito.

É muito difícil desapegar, e digo isto, porque sou uma acumuladora de sentimentos, de experiências e de pessoas. Acho lindo saber que mesmo quem passa nem que seja por uma troca de olhar, é porque devia ter passado, sabe? Dizer que tudo é mera obra do acaso, preciso dizer que eu prefiro achar que é porque devia acontecer mesmo. Calma, se você acredita no acaso, não vamos brigar. Cada um é livre para pensar e escolher o que lhe convir.

E é por isso que eu acredito nas pessoas, principalmente no que elas dizem, mesmo não querendo dizer. Nas ações, que falam mais do que palavras. É por isso que eu tenho um imenso impedimento em me despedir.

Quando li essa frase, que é do escritor cristão Max Lucado, um de meus preferidos, ela me atingiu como uma apunhalada pelas costas. Primeiro, porque tem gente nesse mundo, que eu não sei viver sem, e que já sofro por antecipação quando ela me deixar. Minha avó. Eu sei que todo mundo se vai. Perdi minha mãe, faço ideia do que seja essa ausência. E sei também que você já perdeu ou infelizmente vai perder alguém. É inevitável, porque é a vida. E sei também que assim como eu tenho os meus medos de soltar as mãos tão lindas e frágeis de vovó, eu tenha que fazer isto, entregando-as nas mãos daquele que não vejo. E meu coração já dói. Já choro. Porque não quero. E sei que você também não quer se desfazer de alguma coisa que é muito importante para você, não é mesmo?

Eu não sei em quem ou no que você acredita, se é em alguma força divina, da natureza… o fato é que devemos deixar tudo o que vem, partir. Costumo dizer à mim mesma que amar é isso… É quando a gente quer tão bem a outra pessoa, que ela não necessariamente precisa estar ao nosso lado. Isso para mim, é a melhor explicação do que é amor, sabe? Não sei se você vai me entender, mas para mim faz um sentido danado. E o Max, na mesma intensidade que me apunhalou, me deu o melhor abraço.

Eu não gosto nem um pouquinho de despedidas. Essa ideia de saber que agora eu estou escrevendo, você está lendo e em questão de segundos, podemos ambos(as), não estar mais fazendo nada disso, me apavora. Mas mesmo com medo, eu aprendi que a gente tem que viver o hoje, e dizer tudo o que sente, tudo o que quer dizer mesmo. Se o outro não aceitar, me desculpe, mas aí é problema todo dele, e isso aí já foge inteiramente do controle. Não deixe para amanhã o que você pode fazer (ou dizer) hoje.

Não importa o tamanho ou a intensidade da perda, por mais que lhe custe a vida entender ou que você não entenda de jeito nenhum, acalma o seu coração. Abra espaço ao amor, e você verá, que ele lhe abraçará de volta, lhe prometo.

Thaissa Freire

Thaissa Freire

Em terra em que o YouTube e as gigantes de streaming imperam, eu carioca da gema, cristã que sabe que existe SIM, muito amor - e chuva - em São Paulo, não troco as palavras em forma de escrita por nada. Adoro um bom vídeo, piro nos GIFS, mas são os versos que fazem o meu coração refém.

Uma louca apaixonada por letras, Montreal (Canadá), e que faz do Blog das Meninas, o palco de seus sonhos mais doidos, escreve - sempre que a vida permite - sobre suas experiências de viagens, séries, filmes e livros favoritos, receitinhas pois é metida a chef de cozinha, músicas, e o que mais lhe vier à cabeça.
Thaissa Freire

Últimos posts por Thaissa Freire (exibir todos)

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply